A Bahia é o segundo estado em número de mortes violentas de pessoas LGBTs. O dado consta em estudo divulgado nesta quinta-feira (23) pelo Grupo Gay da Bahia (GGB) que há 40 anos desenvolve o Relatório Anual de Mortes Violentas de LGBT no Brasil. O GGB computa dados de matérias jornalísticas em todo Brasil.

De acordo com o relatório, em 2019, 329 LGBT+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) tiveram morte violenta no Brasil, vítimas da homotransfobia. Foram 297 homicídios (90,3%) e 32 suicídios (9,7%).

“Comparativamente aos anos anteriores, observou-se em 2019 surpreendente redução das mortes violentas de LGBT+. O ano recorde foi 2017, com 445 mortes, seguido em 2018 com 420 e agora 329 mortes em 2019, registrando-se, portanto, uma diminuição de 26% face a 2017 e 22% em relação a 2018”, explica parte do estudo.


Essa tendência de redução de mortes violentas foi observada em todo Brasil no ano passado, 19%, conforme dados oficiais do Monitor da Violência (G1 e GLOBO NEWS, 2020), e confirmada igualmente pela Associação Nacional de Trans, que apontou uma queda de 24%.

De acordo com o professor Luiz Mott, fundador do Grupo Gay da Bahia e um dos pesquisadores do projeto, a explicação mais plausível é um ‘acautelamento da população LGBT’ em função do atual momento democrático do país.

Segundo o Domingos Marcelo Oliveira, coordenador desta pesquisa sobre mortes violentas de LGBT+ no Brasil, “além da nossa hipótese de que as mortes diminuíram devido ao maior resguardo e cautela da população LGBT em relação ao clima hostil dos últimos tempos, há outras tentativas de explicação. A Associação de Travestis considerou que os LGBT ficaram aterrorizados com medo de registrar casos de violência homotransfóbica; há ainda a hipótese que a criminalização da homofobia, equiparada ao racismo, teria inibido potenciais assassinos. “

A cada 26 horas um LGBT+ é assassinado ou se suicida vítima da LGBTfobia, o que confirma o Brasil como campeão mundial de crimes contra as minorias sexuais. Segundo agências internacionais de direitos humanos, matam-se muitíssimo mais homossexuais e transexuais no Brasil do que nos 13 países do Oriente e África onde persiste a pena de morte contra tal segmento. Mais da metade dos LGBT assassinados no mundo ocorrem no Brasil .

“Apesar dessa redução observada nos dois últimos anos, devemos pontuar que tais mortes cresceram incontrolavelmente nas duas últimas décadas: de 130 homicídios em média em 2000, saltou para 260 em 2010, subindo para 398 nos últimos três anos”.

Síntese e Tendências predominantes das mortes violentas de LGBT+ do Brasil em 2019

  • 329 LGBT+ foram as vítimas de morte violenta no Brasil em 2019.
  • 297 homicídios (90,3%) e 32 suicídios (9,8%).
  • Como se repete desde que o Grupo Gay da Bahia iniciou tal pesquisa, em 1980, em termos absolutos predominaram as mortes de 174 Gays (52,8%), seguidos de 118 Travestis e Transexuais (35,8%) , 32 Lésbicas (9,7%) e 5 bissexuais (1,5%).
  • Em termos relativos, as pessoas trans representam a categoria sexológica mais vulnerável a mortes violentas. Esse total de 118 mortes, se referidas a 1 milhão de travestis e transexuais que se estima existir em nosso país, sinalizam que o risco de uma pessoa trans ser assassinada é aproximadamente 17 vezes maior do que um gay.
  • Quanto à faixa etária das vítimas, nos extremos foram computados 5,8% menores de 20 anos e 3,9% idosos com mais de 60, representando 90,7% os LGBT+ mortos entre 20-50 anos, a mais jovem, com 14 anos, uma lésbica estudante encontrada morta com sinais de tortura numa praia de Paulista, (PE) e o mais velho, um aposentado de 69 anos, morto a facadas e tiros em Madaguaçu (PR).
  • Quanto à cor, apesar de se tratar de variável bastante descuidada nas matérias jornalísticas, encontramos praticamente a mesma distribuição racial entre as vítimas, 50,2% de negros (pardos e pretos) para 49,7% de brancos.
  • Foram identificadas 60 profissões-ocupações entre os LGBT+ vítimas de morte violenta, salientando-se as profissionais do sexo (11,5%), professores (7,3%), estudantes e cabeleireiros (5,1% respectivamente). Predominam profissionais do setor terciário e prestação de serviços, incluindo 7 pais de santo, empresários e servidores públicos.
  • Relativamente à causa mortis dos LGBT+, 29,4% foram assassinados a facadas, 21,8% com arma de fogo, incluindo estrangulamento e espancamento muitas vezes precedidos de tortura e agravados com a carbonização do corpo.
  • 1/3 das mortes violentas de LGBT+, sobretudo de gays e lésbicas, ocorreram no interior da residência vítima, enquanto as trans, especialmente as profissionais do sexo, foram executadas na “pista”, no centro urbano, mas também em estradas e locais ermos.
  • Quanto ao perfil regional das mortes violentas de LGBT+, registrou-se uma mudança imprevisível do padrão observado nos últimos anos: o Norte e Centro Oeste deixaram de liderar essa lista, voltando o Nordeste (35,5%)a ser a região mais homotransfóbica do país e pela primeira vez o Sudeste (29,7%)ocupando o segundo lugar. O Sul e Centro Oeste foram as regiões com menor índice de letalidade anti-LGBT, repetindo a tendência dos anos anteriores.
  • Registraram-se mortes violentas de LGBT+ em todos os 26 estados e no Distrito Federal, distribuídos em 200 municípios, 32 localidades a menos em relação a 2018.
  • São Paulo é o estado que aparece em primeiro lugar no ranking de mortes, com 50 casos, (15,2%), seguido da Bahia, com 32 ocorrências (9,73%) e Pernambuco com 26 casos (7,9%). No outro extremo, os estados menos violentos foram Acre, Amapá e Mato Grosso do Sul, com 1 morte violenta. As capitais mais violentas foram Salvador (12 casos), São Paulo (11), Rio de Janeiro (7), Belo Horizonte e Fortaleza (6), Curitiba e Recife (5).

“A matança continua, diz o Presidente do GGB, Marcelo Cerqueira: “nos cem primeiros dias de 2020, já foram documentados 102 mortes violentas de LGBT no Brasil, 91 homicídios e 11 suicídios. Esperamos que com o confinamento social e o medo de contaminação pelo Covid-19 redunde na diminuição dessas mortes violentas muitas vezes ocorridas na rua ou no entremeio de relações sexuais.”

23 de abril de 2020

Bahia é ‘vice-campeã’ em mortes violentas de pessoas LGBTs, aponta estudo

A Bahia é o segundo estado em número de mortes violentas de pessoas LGBTs. O dado consta em estudo divulgado nesta quinta-feira (23) pelo Grupo Gay […]
23 de abril de 2020

Apresentador da Globo que mostrou foto de pênis ao vivo é demitido

Nos últimos dias viralizou um vídeo de um apresentador que mostrou, sem querer, um nude no telão do telejornal Bom Dia MT, da TV Centro América, […]
22 de abril de 2020

Gayband baiana Diva Box lança clipe durante a quarentena: ‘mensagem positiva’

A gayband baiana Diva Box lançou o clipe da canção Você Não Anda Só. Gravado em fevereiro desse ano, as imagens acabaram retratando um pouco desse […]
22 de abril de 2020

Pela primeira vez em 50 anos, Nova York não terá uma Parada do Orgulho LGBTQ+; Salvador ainda é incerto

Pela primeira vez em 50 anos, Nova York não terá uma Parada do Orgulho LGBTQ+! O prefeito da cidade, Bill de Blasio, anunciou que todos os […]
22 de abril de 2020

Pabllo Vittar cantará em festival online com grandes nomes mundiais da cena LGBTQIA+

Pabllo Vittar realmente é muito poder! A drag cantora foi confirmada como uma das atrações do festival internacional The Stonewall In Gives Back, que acontecerá on […]
Página anterior
123456789101112131415161718192021222324252627282930313233343536373839404142434445464748495051525354555657585960616263646566676869707172737475767778798081828384858687888990919293949596979899100101102103104105106107108109110111112113114115116117118119120121122123124125126127128129130131132133134135136137138139140141142143144145146147148149150151152153154155156157158159160161162163164165166167168169170171172173174175176177178179180181182183184185186187188189190191192193194195196197198199200201202203204205206207208209210211212213214215216217218219220221222223224225226227228229230231232233234235236237238239240241242243244245246247248249250251252253254255256257258259260261262263264265266267268269270271272273274275276277278279280281282283284285286287288289290291292293294295296297298299300301302303304305306307308309310311312313314315316317318319320321322323324325326327328329330331332333334335336337338339340341342343344345346347348349350351352353354355356357358359360361362363364365366367368369370371372373374375376377378379380381382383384385386387388389390391392393394395396397398399400401402403404405406407408409410411412413414415416417418419420421422423424425426427428429430431432433434435436437438439440441442443444445446447448449450451452453454455456457458459460461462463464465466467468469470471472473474475476477478479480481482483484485486487488489490491492493494495496497498499500501502503504505506507508509510511512513514515516517518519520521522523524525526527528529530531532533534535536537538539540541542543544545546547548549550551552553554555556557558559560561562563564565566567568569570571572573574575576577578579580581582583584585586587588589590591592593
Próxima Página