Por Giuliana Mancini*

Arrancar um elogio do cantor Silva sobre Salvador é uma tarefa fácil. Natural de Vitória, no Espírito Santo, ele adora falar do amor que tem pela capital baiana, definida como sendo seu lugar ‘do seu coração’ e um dos que mais gosta de se apresentar.

“Não sei explicar exatamente da onde vem essa conexão que tenho com a cidade, mas posso ver que muita gente vem me acompanhando desde o começo da minha carreira. Isso é um presente e espero que essa relação dure por muitos anos”, derrete-se.

(Foto: Breno Galtier/Divulgação)

Neste domingo (9), matará as saudades. O cantor sobe ao palco da Sala Principal do Teatro Castro Alves para comandar o espetáculo Silva canta Marisa, em homenagem à cantora Marisa Monte. Mas nem adianta procurar ingressos: estão esgotados.

“Fiquei muito feliz, mesmo! Isso mostra que as cobranças eram reais. Recebi muitos e muitos pedidos de fãs de Salvador para que eu fizesse esse show na cidade. Agora finalmente vai acontecer e no TCA, que é um dos teatros que mais amo”, comemora.

Quem não conseguiu sua entrada para a apresentação – ou mesmo quem quer ver o artista mais vezes – não precisa ficar triste. Na próxima quarta-feira (12), será o convidado do Cortejo Afro na festa Venha Beijar no Pelourinho. O evento, no clima do Dia dos Namorados, acontece a partir das 21h, no Largo Tereza Batista, e tem ingressos, em primeiro lote, por R$ 20 (meia) e R$ 40 (inteira), vendidos nas lojas South e no site Safeticket.

Depois, Silva será uma das atrações do projeto Bud Basement, no Trapiche Barnabé (Comércio), onde tocará no dia 2 de julho, a partir das 16h. A entrada, em lote promocional, custa R$ 35 na plataforma Sympla. E ele promete que não parará por aí.

(Foto: Breno Galtier/Divulgação)

Para Marisa
O espetáculo deste fim de semana não é exatamente novo: a turnê começou em dezembro de 2016. Mas, na época, o artista não conseguiu trazê-la a Salvador.

De lá para cá, lançou outro projeto, Brasileiro, que consolidou ainda mais sua carreira. “As possibilidades de levar meu espetáculo para outras cidades aumentaram. Por isso resolvi passar com o ‘Canta Marisa’ pelos lugares que, infelizmente, não pude ir durante a turnê. Esse show continua sendo muito requisitado”, afirma.

(Foto: Breno Galtier/Divulgação)

Segundo o artista, não há grandes mudanças, ‘apenas detalhes’. E também não foram incluídas muitas músicas autorais de Silva no repertório.

“É um momento que curto ser intérprete e descanso meu trabalho de compositor. Mesmo assim eu encaro as versões como se fossem composições minhas, gosto de colocar minha cara e meu jeito em todas elas. ‘Feliz e Ponto’ é a única música minha que entra no show, além de ‘Noturna’, que compus com Marisa e meu irmão Lucas”, adianta.

A proximidade com a homenageada, aliás, veio graças ao trabalho – para a felicidade de Silva. “Quando comecei esse projeto eu era um grande fã (continuo sendo, talvez até mais agora) e não tinha contato algum com Marisa. Hoje, posso dizer que me tornei um amigo dela. Isso foi um presente pra mim, poder conhecer um ídolo de pertinho e agora poder compartilhar ideias, compor junto e manter contato. Me considero um cara de sorte.

(Foto: Miguel Vassy/Divulgação)

Após essa série de apresentações do espetáculo, ele garante que não haverá repeteco. “Vão ser mesmo só esses, depois vou parar”.

Engajado nas causas LGBTQIA+?, Silva comentou também sobre a recente aprovação por parte do Supremo Tribunal Federal da criminalização da homofobia. “Acredito que num país violento como o nosso e que segundo as estatísticas é o país que mais mata LGBTQI+’s no mundo, criminalizar a homofobia é apenas o começo, um grande começo por sinal. Ouvir uma frase como “a dor é urgente” vindo do STF é como poesia no meio de tanta notícia ruim e desesperança. Hoje a gente vê que não podemos contar com o bom senso e o respeito de uma boa parcela da população. Então, tem que criminalizar sim! E esperar que isso ajude a desencadear um processo de humanização da mente de muitos brasileiros e brasileiras. Enquanto isso, seguimos atentos e fortes”, destacou o capixaba.

Serviço
O quê: Show Silva Canta Marisa.
Onde: Teatro Castro Alves (Campo Grande | 4000-1139).
Quando: Domingo (9), às 20h
Ingresso: R$ 140 | R$ 70 (A a W), R$ 110 | R$ 55 (X a Z6) e R$ 80 | R$ 40 (Z7 a Z11).
Vendas: TCA, SAC dos shoppings Barra e Bela Vista e site Ingresso Rápido (Ingressos esgotados).
Clube Correio: 40% de desconto.

*Colaborou Marília Moreira

7 de junho de 2019

‘Criminalizar a homofobia é só o começo’, diz cantor Silva que fará show domingo em Salvador

Por Giuliana Mancini* Arrancar um elogio do cantor Silva sobre Salvador é uma tarefa fácil. Natural de Vitória, no Espírito Santo, ele adora falar do amor […]
4 de março de 2019

[Opinião] Os gays ‘bombados’ estão estragando o Carnaval

Por Bruno Brasil* Há 3 anos uma amiga escreveu que “foi mais tranquilo passar pela pipoca do Chiclete e La Fúria do que pelos Mascarados por […]
31 de janeiro de 2019

Veja bastidores exclusivos da gravação do clipe de Anitta em Salvador; ouça trecho da música

Por Kelven Figueiredo* A comunidade do Solar do Unhão acordou bem cedo na manhã desta quinta-feira (31). Era por volta das 7h30 quando a correria e […]
1 de junho de 2018

Rouge comemora 15 anos com show em Salvador neste sábado (2)

Se você era criança ou adolescente em 2002, provavelmente já dançou muito Ragatanga com seus amigos. Também deve ter ficado decepcionado quando, em 2006, o Rouge […]
19 de abril de 2018

Salvador celebra o Dia Mundial da Criatividade com programação gratuita

Em 2018, a Organização das Nações Unidas estabeleceu uma data oficial para celebrar o Dia Mundial da Criatividade (DMC) e sua importância para a inovação e […]