Hospital depende de vigilância sanitária para fazer cirurgias em transexuais na Bahia
8 de junho de 2019
queens
Lia Clark, Aretuza Lovi, Rita Von Hunty e Ícaro Kadoshi gravarão clipe juntas; saiba mais
11 de junho de 2019

Projeto de acolhimento de pessoas LGBTQIA+ em Salvador abre financiamento coletivo; ajude

Sellena, Rafaela e João Hugo

Inaugurado no mês de maio no bairro da Saúde, em Salvador, o Centro de Cultura e Acolhimento LGBTQI+ está fazendo uma campanha de financiamento coletivo. O projeto social surgiu da necessidade da população LGBTQI+ em enfrentar os danos causados pela LGBTfobia. Entre os seus propósitos, a Casa Aurora visa o resgate dos valores básicos da convivência familiar e comunitária para a livre expressão da potencialidade dos sujeitos, fomentando o desenvolvimento pessoal e intelectual através das atividades desenvolvidas.

O espaço da Casa Aurora está aberto para visitações. Para isso, é necessário encaminhar um e-mail para casadeacolhimentoaurora@gmail.com e agendar uma visita ao projeto social de acolhimento LGBTQI+ da capital baiana. Caso queira contribuir com a iniciativa social, acesse o link da vakinha : http://vaka.me/590271 ou doe diretamente na conta da ADIBA Caixa Econômica Federal, AG:3790, OP: 003, CC:1168-0, CNPJ: 32885310/0001-27, ASSOCIAÇÃO DE DIVERSIDADE E INCLUSÃO DA BAHIA – COLETIVO AÇÃO.

O projeto social da Casa Aurora é coordenado pelo casal trans e negro João Hugo e Sellena Ramos, integrantes da ADIBA – Associação de Diversidade e Inclusão da Bahia. A Casa Aurora se constitui como uma das ações da ADIBA, pessoa jurídica de direito privado, sem fins econômicos, de caráter filantrópico, assistencial, sem cunho político ou partidário. Segundo a coordenação da Casa Aurora, “um dos objetivos do projeto, para além do acolhimento, é desenvolver atividades socioeducativas e culturais no espaço, resgatando a autoestima das pessoas LGBTQI+ que serão acolhidas e as pessoas LGBTQI+ externas que irão participar das atividades na casa”.

Segundo Rafaela Garcez, mulher lésbica e presidenta da ADIBA, o projeto da Casa Aurora também vai funcionar como espaço de mediação de conflitos que envolvem jovens LGBTQI+ e seus familiares. “A casa vai funcionar com um corpo técnico voluntariado, com o intuito de dar suporte psicossocial, buscando oferecer formas de apoio às famílias que muitas vezes não compreendem a sexualidade de seus filhos. Além disso, pretendemos atuar com o suporte em serviços de formação de mão de obra e busca por empregos e estágios”, ressalta Garcez.

Com o intuito de equipar os quartos e áreas de convivência (com móveis e utensílios domésticos e pagar contas de manutenção) destinados ao acolhimento de pessoas LGBTQI+ em situação de risco e vulnerabilidade social, a Casa Aurora está recebendo doações através de um financiamento coletivo. “O acolhimento ainda não começou a ser feito, já que ainda estamos selecionando o corpo técnico voluntariado e captando recursos para montar as estruturas mínimas e humanizadas para o acolhimento ser realizado. Esperamos abrir para o acolhimento ainda no mês de junho”, salienta João Hugo e Sellena Ramos.

As campanhas e atividades da Casa Aurora são divulgados nas redes sociais do projeto. Acompanhem através da página do Facebook “Casa Aurora” e no Instagram @aurora_casalgbt.

Jorge Gauthier
Jorge Gauthier
Jornalista, adora Beyoncé e não abre mão de uma boa fechação! mesalte@redebahahia.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *