Dê seus pulos

A rotina do jornalismo é não ter rotina. A fonte não atende. A pauta fura e o deadline chega junto com nosso desespero.  Começo meu post de hoje falando desses empecilhos por contas dos últimos dias, principalmente, a última sexta – feira (27).

Quando cheguei na redação, todos os futuros estavam apreensivos. Perguntei a Tailane, futura, o que havia acontecido. “Estou desesperada”, respondeu ela, “a matéria da orquestra é para hoje, pois será a aposta do abre do Mais*”. Tínhamos visitado a Orquestra Plástica do Neojiba, em Simões Filho, na quarta-feira (25). Sabíamos da tarefa, mas todos nós fomos pegos de surpresa, pois ninguém esperava o deadline sexta-feira – fiquei com vontade de ir para casa, confesso.  Não pela falta de vontade de executar o trabalho, mas pelo medo de conseguir dar conta.

A minha “missão” era fazer uma reportagem gráfica. Como alguns futuros precisaram voltar para casa para pegar alguns materiais, fui tratar de procurar um computador para decupar as informações que eu tinha. Sentei ao lado de Alessandra, futura, e a perguntei: “Mulher, como eu começo a fazer uma reportagem gráfica?”.

 

20160527_185807

Todo mundo espera alguma coisa de uma sexta à noite. Os futuros não.

 

O chefe de reportagem foi o futuro Vinicius, conversando com ele, minhas ideias começaram a ficar mais esclarecidas. Chequei minhas apurações ligando para as fontes, que não me atendiam.  O desespero batia, eu pensava: e agora? Ao final da tarde, consegui contato com uma fonte que salvou minha matéria.

Os outros futuros continuaram trabalhando. Roberto, por exemplo, terminava a apuração para escrever o texto principal. Maria tentava mudar o direcionamento do seu texto, por conta das fontes.  Tailane, como sempre, lutava para reduzir sua matéria. Alessandra buscava contato com fontes, Matheus escolhia as fotos – e Vinicius cuidava de todo nós.

Aprendizado

Esse dia agitado me proporcionou experiências que levarei para a vida. A primeira é que o trabalho em equipe é essencial. Nesse dia, nós, futuros, ajudamos uns aos outros. Existia a preocupação que eu não conseguia enxergar na época da escolha do tema para o produto. A segunda experiência é clichê, mas vale ressaltar: são os desafios que nos fazem crescer. Desafios são grandes aprendizados.