O Leitor Pauteiro e a Rosa bot

O Leitor Pauteiro e a Rosa bot

pauteiro_rosabot

 

Olá, eu sou o Ìcaro, e vim aqui contar um pouco do processo técnico de desenvolvimento do Leitor Pauteiro e da Rosa bot ou, simplesmente, a Rosa do CORREIO.

No processo de construção da nossa querida Rosa nós utilizamos um procedimento de desenvolvimento ágil chamado SCRUM, que é uma metodologia de desenvolvimento de software onde o projeto é dividido em pequenos lotes, de 15 dias de trabalho, no qual durante esse período são feitas atividades separadas previamente e revisadas ao final de cada bloco de trabalho. Terminada a etapa o projeto segue para o próximo bloco, esse período de trabalho se chama Sprint.

pauteiro_rosabot
Arquivamos tudo que precisa ser feito em um depósito de dados que se chama Backlog. Ele é utilizado para evitar trabalhos futuros com o processo de criação e deixa as coisas sempre bem alinhadas entre a equipe de desenvolvimentos e o pessoal do CORREIO.

Tínhamos reuniões quinzenalmente com a equipe do CORREIO para analisarmos a entrega  atual e planejar os próximos sprints da construção da Rosa, além de sempre olharmos para o que tinha que ser feito e avaliarmos novamente as prioridades.

Esse processo do sprint é importante porque, ao decorrer do desenvolvimento do projeto, certas definições e demandas acabam não fazendo tanto sentido, assim é possível mudar o encaminhamento sem precisar refazer todo o projeto, como aconteceria caso não houvesse as entregas quinzenais.

Chegamos a conclusão durante as reuniões que era necessário dar “neurônios turbinados” para Rosa, para que ela conseguisse entender, da melhor forma possível, o que os leitores do CORREIO iriam conversar com ela e processar tudo isso. Para isso optamos por utilizar o IBM Watson.

Com o IBM Watson Assistant, que é uma plataforma da IBM usada prover a construção de soluções de chatbots inteligentes, conseguimos definir frases, reações e treinar a Rosa para entender os diferentes contextos que possam existir em uma conversa. Assim a Rosa conseguiria conversar com várias pessoas ao mesmo tempo, entendendo o que cada uma estava falando.

Nesse ponto foi necessário trabalhar bastante para tentar entender qual o nível certo de perguntas às serem feitas a Rosa, como ela deveria se expressar. Tudo isso foi destinado a Elisa, que nunca tinha feito um bot antes mas conhecia muito bem sobre a parte de comunicação. Fernando, Diogo e eu ficamos com a parte técnica.  Foi à integração do Jornalismo com a Computação em um produto só,o fluxo de conversa do bot.

Após vários dias se debruçando entres textos do Correio e mapas de conversas, estávamos chegando a um consenso do que a Rosa deveria falar e também o tamanho ideal das falas. Existiam muitos pontos que queríamos testar e ver se fazia sentido ou não, coisas que a rosa deveria fazer, atitudes que ela deveria tomar.

Depois do protótipo do bot funcionando tínhamos que pensar no dashboard (painel de informações), que os jornalistas iriam usar para acessar as pautas (informações enviadas através da Rosa bot) e poderem apurar as informações. Um tópico que gerou várias reuniões, ajustes e definições pois é uma das partes mais importantes do projeto. Sem ele o jornalista não tem como filtrar as informações recolhidas pela Rosa.

Depois de dois meses de desenvolvimento, chegamos à conclusão que era necessário um teste de coleta de pautas através da Rosa bot para mensurar a repercussão e falhas, assim decidimos efetuar um teste com pessoas reais, com os leitores do CORREIO. Esse tipo de teste é muito importante para validar as boas e as más escolhas do projeto, responder às várias perguntas que estão em aberto sobre o que Rosa deveria fazer ou como deveria  se comportar em diversas situações e assim adequar e entregar o melhor produto possível para o CORREIO e seus leitores.

O teste não foi efetuado ainda, mas estamos empolgados para que todos vejam a Rosa e interajam com ela. Queremos que o público de sua opinião sobre a Rosa, diga o que poderia ser melhor ou diferente e para que assim seja possível alcançar o nosso objetivo principal que é  prover a melhor plataforma possível para o CORREIO dentro dessa janela de tempo de três meses.