Você sabe quais são os 10 prédios mais altos de Salvador?
Fevereiro 22, 2018

Rolé Salvador Concreta

Por Júlia Vigné

Salvador tem uma Casa Branca - e não é o terreiro de candomblé. Uma versão da obra da residência oficial dos presidentes americanos foi construída com o mesmo projeto arquitetônico em pleno Corredor da Vitória. A casa fica localizada à frente do moderno edifício Vitória Tower.

Essa foi uma das especificidades arquitetônicas da cidade demonstradas ontem em uma ação conjunta ao lançamento do caderno especial Salvador Concreta, produzido por estudantes de Jornalismo da 12ª Turma do programa Correio de Futuro e disponibilizado em um caderno especial na edição de hoje.

Da Graça ao Campo Grande, um quebra-cabeça arquitetônico de 15 prédios que contam a história de Salvador. O roteiro foi idealizado por Diego Viana, arquiteto sócio do escritório Urban e do Instagram Prédios de Salvador, que cataloga as edificações da capital baiana.

De projetos arquitetônicos premiados na Bienal de Arquitetura de São Paulo e prédios ícones de gerações a estilos brutalistas impressionantes, passando por estruturas suspensas e pilastras com formatos diferenciados, a caminhada de 3 km foi repleta de histórias.O percurso começou no Edifício Dourado, na Graça, o primeiro prédio residencial de Salvador da década de 30, e terminou no Hotel Sheraton, construído na década de 50.

Essa foi a primeira vez que um produto do projeto foi antecedido por um evento destinado a leitores e convidados. De acordo com Linda Bezerra, editora-chefe do CORREIO e uma das orientadoras do projeto, a ação foi pensada para acrescentar ainda mais informações sobre o Salvador Concreta. “A gente vai sempre pensar em novas ações para melhorar o conteúdo, acrescentar informação, dar visibilidade às marcas, ao produto e ao jornal. Este ano ainda envolvemos o leitor, a quem estamos a serviço”, disse.

Para Marcelo Gentil, gerente de Comunicação da Odebrecht S.A , o passeio possibilitou conhecer a cidade através da sua arquitetura. “Até pouco tempo, o estilo que prevalecia na capital era o colonial. Hoje, pudemos perceber as diversas fases disso vividas por Salvador através de seus prédios. Para nós foi um projeto muito interessante, uma tarde muito prazerosa, especialmente por ver quantos prédios e equipamentos foram contribuições a partir das construções da Odebrecht”, ressaltou. A construtora patrocina o programa, com apoio da FSBA.