Foi lançada no último final de semana a Campanha pela Visibilidade Trans, em parceria da  Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) com a Secretaria de Justiça Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) da Bahia, que tem o objetivo de mostrar a importância do respeito ao nome social e à   inclusão no mercado formal de trabalho para a população trans. Com o texto ‘Minhas roupas mudaram; Meus sapatos mudaram; Meu cabelo mudou; Minha postura mudou; Se tudo está diferente, por que meu nome no documento deveria continuar igual?’, a campanha chama atenção ao tratamento pelo nome que melhor representa a identidade de gênero de travestis e transexuais.

As peças, veiculadas nas redes sociais da Antra e do governo estadual, ainda chamam a atenção para o abaixo assinado no site avaaz.org/andra que tenta agilizar os processos de reconhecimento de nome no congresso.

Quer saber mais sobre pessoas trans e travestis? Acesse o especial Identidade Trans, lançado pelo Me Salte

O lançamento integrou a programação da OcupaDinha pela Visibilidade Trans, no Largo da Dinha, no bairro do Rio Vermelho, em Salvador. Para o coordenador estadual de Políticas LGBT, Vinicius Alves, a iniciativa se configura em um momento de reconhecimento da população trans, grupo mais vulnerável aos crimes de homofobia e transfobia, e que, pela primeira, vez teve o apoio do Governo do Estado.

A campanha foi idealizada, segundo a presidente Antra, Keila Simpson, em 2003, pelo então Programa Nacional de Aids, em parceria com a entidade, sendo lançada em 29 de janeiro de 2004, no Congresso Nacional. Este ano, a campanha foi doada pela agência de publicidade Léo Burnet, de São Paulo.

30 de janeiro de 2017
148577697216251676_1834096646865439_7165950589836665246_o

Campanha da visibilidade trans reforça respeito no uso do nome social

Foi lançada no último final de semana a Campanha pela Visibilidade Trans, em parceria da  Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra) com a Secretaria de Justiça Direitos […]
28 de janeiro de 2017

“Eu não me sentia nem homem e nem mulher”, diz Céu Rocha, pessoa não-binária

*Por Céu Rocha Bom¦ foi difícil escrever esse texto. É a primeira vez que falo sobre isso abertamente, muitos amigos vão ficar sabendo através dessa publicação. […]
27 de janeiro de 2017

“A gente luta pelo direito de ser explorado pelo mercado de trabalho”

Invisíveis para os censos oficiais, as pessoas trans e suas participações no mercado de trabalho só são contabilizadas por organizações criadas por elas mesmas. De acordo com […]
27 de janeiro de 2017

Para ser uma pessoa trans ou travesti precisa fazer cirurgia?

Quando nasceu, o filho da cantora Gretchen foi identificado como pertencente ao gênero feminino. Entretanto, ao crescer, Thammy Miranda mostrou que tem identificação com o gênero […]
27 de janeiro de 2017
Theo 1

Nasci pelo avesso, renasci para ser feliz, conta homem trans Théo Meirelles

Por Théo Meirelles* Ser trans é transcender a si mesmo, é encarar o espelho com amor e o mundo com coragem. Ser trans é entender que […]