Salvador é do mundo

Salvador é do mundo

O meu querido amigo e talentoso cantor, compositor, Rafael Pondé, que carrega a baianidade para onde vai e atualmente morando em Washington DC nos EUA,  escreveu esse belo texto falando sobre a escolha de Salvador como a unica cidade brasileira recomendada para se conhecer em 2019 pelo influente jornal The New York Times:

Acabo de tomar conhecimento que Salvador é a única cidade brasileira indicada como lugar para se conhecer em 2019 pelo jornal norte americano “The New York times”.Ao todo foram citados 52 lugares pelo mundo e Salvador ocupa a 14 colocação.Inclusive, o jornal cita o centro histórico e a cidade velha, como locais a serem visitados, ou seja, Salvador foi indicada pela sua história e “amálgama” cultural únicos e não por motivos fúteis. Isso me enche de felicidade, pois quando aceitei o convite para vim trabalhar nos EUA em 2014, esse reconhecimento institucional de Salvador fazia parte dos meus objetivos, que em 2016 foi reforçado quando ganhei o título de embaixador cultural do Brasil pela organização Partners of America (Fundada por JFK). A força e a beleza cultural de Salvador sempre me fascinaram e eu sempre que viajei pelo mundo levei comigo essa missão de falar e divulgar os valores da minha Terra.

Eu sempre soube que o caminho artístico de divulgar a cultura e a história do meu povo não tinha “atalhos” e seria muito mais difícil do que cantar e compor sobre motivos superficiais. Mas a minha paixão por cultura e história, sempre me moveram a compor e escrever sobre a cultura da minha cidade e por isso criei obras como: Odé Caçador, Revolta dos Malês, Voltar pra Bahia ( Com Kezo Nogueira), Yemanjá ( Com Roberto Leite e Tico Marcos), Afrika Dub (Com Mama Soares) Voltar pra Salvador e Malemolência do baiano (Com Lucas Pondé) entre outras, que discorrem sobre a cultura e a mágica desse lugar chamado Salvador. Muitas vezes, essas obras passaram “batidas”, ou seja, não foram muito comentadas ou divulgadas na minha própria terra…Mas isso nunca me abalou, pois quem trabalha pela cultura, o faz por amor e não por dinheiro fácil e reconhecimento barato.Em contra partida, a força e o impacto positivo que minha obra causa fora do Brasil e aqui nos EUA, em especial, sempre me surpreendeu. Vivendo aqui passei a entender e me realizar pelas minhas escolhas artísticas.

Quando em 2014, aceitei o convite para vim trabalhar aqui nos EUA, apesar do grande desafio e das dificuldades que passei, não tive um só momento de esmorecimento, porque sabia que estava trabalhando pela cultura e reconhecimento da minha terra, que desde sempre ocupou um lugar muito especial no imaginário mundial. Não é a toa, que atraídos pela cultura da Bahia, foram pra Salvador em momentos distintos: Sartre, Neruda, Michael Jackson, Paul Simon, Marcel Camus, entre outros artistas geniais. O orgulho e a felicidade que eu sinto, quando piso num palco aqui nos EUA, sempre apresentado como um artista baiano e embaixador cultural,  é indescritível. E não foram poucos palcos. Nesses 5 anos, pra citar algumas cidades onde me apresentei por aqui, estão: Nova York, Philadelphia, Boston, Washington DC, New Orleans, Orlando, Miami, Seattle, San Diego, Atlanta, entre outras, que estão em partes completamente diferentes do país.

Portanto hoje, quando recebo essa notícia, me sinto realizado e humildemente, entre tantos outros, um dos responsáveis por esse reconhecimento a Salvador aqui nos EUA. Asé !

Deixo você hoje com a minha composição “Voltar pra Bahia”