‘Sou Micareteiro’

‘Sou Micareteiro’

klebão

 

Com a permissão do autor, Kleber Sangalo, Klebão para os amigos (onde me incluo)  publico o belo texto desabafo sobre a Micareta de Feira de Santana que ele briga arduamente para manter viva a chama desse grande evento.

 

“Continuo sendo mas querem que deixemos de ser. Tentam acabar com a festa. E as críticas chovem- todas justificáveis pois verdadeiras- mas os porquês e as soluções?
A festa cai a cada dia por mais que continue sendo a grande festa da cidade. Não temos uma festa desejada nem que desloque para cá ninguém de fora daqui e isso é fato. Por que? Ficou banal: toda cidade tem a sua micareta. A nossa que era ícone deixou de ser uma festa diurna com participação de toda a comunidade com clubes sociais fazendo festas glamorosas e as casa cheias de convidados e amigos de fora. Por que não somos mais desejados? Somos violentos mais que o carnaval por exemplo? Não .

Mas não temos iluminação descente, estrutura bem montada- culminou com a licitação vazia-, as famílias não participam mais como antes- falta dos clubes e de camarotes das famílias que espero que os camarotes preencham-, falta de política de criação de desejo seja com festas pré-micaretescas, seja com decoração da cidade que não mais existe, seja por uma total incompetência na criação/ gestão de campanhas e mídias que criem desejo de brincar a micareta, etc. Etc. Etc. Tudo isso e muito mais leva a cidade não sentir mais propriedade e orgulho da festa. A geração atual que frequenta as festas não tem mais a micareta na alma, não são micareteiros. E isso é letal para o desejo e espírito que queremos para a festa.
Ainda temos uma festa gigante em números. Público presente, quantidade de atrações, investimento privado, players competentes mas ano a ano perdemos a alma, o espírito. Mesmo assim esse ano minha filha levou dois amigos de Salvador para o evento. Adoraram. Não imaginavam o que era . Aos 17 anos “descobriram “a micareta. Tinham nos olhos o brilho de seus pais que também frequentavam a micareta comigo anos atrás. Isso me dá a certeza de que podemos sim reverter o quadro e não só lamentarmos.
Faço uma analogia com a mobilidade urbana: podem os construtores modificar isso sozinhos eles que constroem os condomínios? Não. Precisamos de uma política e agentes públicos para tal. Vontade política. Assim é na micareta. Temos agentes competentes e nossos blocos e estruturas demonstram isso. Precisamos de profissionais públicos centrados na festa . O ano todo. Pensa a micareta após o carnaval é inocência e irreal. Ter uma política de incentivo a quem faz a festa. Ter uma presença no mercado publicitário constante.

Uma parceria com os comerciantes, criar um cluster de entretenimento e turismo centrado no evento. Trabalhar parcerias com secretarias do estado, ministérios e ter estruturado novamente um produto. Criar e cuidar desse produto. Ter equipe capacitada para tal e não 700 e tantos apadrinhados políticos com “bolsa farra “para curtir o evento. Precisamos de um prefeito que apoie eventos que apoie a micareta que não segure o secretario- o atual é do ramo, do mercado e muito bem formado-. Temos que acordar o prefeito que parece dormir enquanto os trios passam.
Temos que reposicionar verbas usando o critério de significância. Temos que cuidar dos patrocinadores- temo não termos mais cervejarias parceiras do evento vide a queimada ocorrida em pleno circuito-. Temos que vender bem o evento como todo mas também entregar um grande produto. Temos que ter espaço específico para os blocos poderem voltar a ser atrativos senão acabarão. Ou perdemos a ilusão que não acabam ou veremos cada dia mais o fim do Nacionais, Raizes, Psiu, Armação, Cerveja e Côco, Queixo, Alternatribo, Catiguria, CCC, FTC, Energia e perderemos aqueles que nos restam pois os prejuízos dos blocos foram grandes. De todos ou quase todos. Temos que posicionar e incentivar os megacamarotes pois eles são equipamentos de desejo para fatia considerável do público consumidor. Mais:temos de incentivar festas durante o dia na micareta: feijoadas, Pool party, festas em hotéis tornando nossa festa mais completa e desejável.
Acho não ter falado nada que todos não saibam. Temos que agir. Temos que cobrar do poder público ação, parceria e compromisso. Por mais que seja árduo e que, atualmente, não vejamos nenhum desejo de mudar o que ai está . Acorda imprensa senão perderemos este grande conteúdo. Acorda comércio senão perderemos essa fonte de consumo. Acorda profissional de evento senão fica desempregado. Acorda povo senão fica sem alegria. Acorda prefeito senão seu sono matará a micareta. (Kleber San Galo)